Grupo de Práticas 2016

Disponível em Salvador, Itabuna

e Feira de Santana

 

Exclusivo para associados ABRH

Associe-se clicando aqui

Apresentação

 

Grupos de práticas

 

Grupo de Coaching - ESGOTADO Saiba mais

Com Meiry Santana

Grupo de Liderança - ESGOTADO Saiba mais

Com Monaliza Matanzas

Grupo de produtividade  - ESGOTADO Saiba mais

Com Genia Porto

Grupo de carreira e remuneração  - ESGOTADO - Saiba mais

Com Miguel Argôlo

Grupo de Coaching - Itabuna - ESGOTADO - Saiba mais

Com Jaciara Santos

Grupo de compotamento humano nas organizações - Feira de Santana - ESGOTADO - Saiba mais

Com Kátia Passos

Grupo de Coaching 

Meiry Santana

Coordenadora do Grupo

Coach Executivo Organizacional, pela Leading Group; Coach Sistêmico pela LM Desenvolvimento; Formação na metodologia Multirreferencial  para trabalho com grupos e  Eneagrama. Membro fundadora da ICF (International Coach Federation) - Capítulo Bahia. Pós-graduanda em Psicologia Junguiana - Processo Criativo, pelo IJBA. Consultora em Desenvolvimento Humano e Profissional.

Economista pela UFBA com MBA em Gestão Empresarial pela FGV  e Pós graduação em Liderança Organizacional pela UEFS. Experiência nas áreas de Gestão, Pessoas, Mercado, Qualidade e Administrativa Financeira.

Please reload

 

APRESENTAÇÃO:

O Coaching é uma ferramenta que vem se estabelecendo no mercado baiano/brasileiro como um processo de apoio ao desenvolvimento humano e organizacional, voltado para a aprendizagem, criatividade, transformação e ampliação das possibilidades de ação. 

O grupo de práticas de estudo de Coaching busca entender esse contexto, identificando meios de apoiar o profissional de Coaching  e a empresa contratante, de forma criteriosa e responsável.

 

OBJETIVOS GERAIS:

Entender e aprofundar o campo de atuação do Coaching, as técnicas utilizadas, os benefícios para o indivíduo/time/grupo e para a empresa e o código de ética que regula a atuação dos Coaches.

 

OBJETIVOS ESPECÍFICOS (a ser validado no primeiro encontro do grupo)

  • Historiar o Processo de Coaching

  • Diferenciar os tipos predominantes de Coaching

  • Aprofundar o conhecimento  das técnicas de Coaching, de forma teórica e vivencial;

  • Discutir e elencar os benefícios do Coaching para as empresas, executivos, times e grupos e para as pessoas, individualmente.

  • Estudar e discutir o Código de Ética do profissional de Coaching

  • Discutir meios de orientar as empresas para a contratação eficaz do Processo de Coaching

 

METODOLOGIA:

Utilização combinada de teoria e prática em trabalhos individuais e de grupos, de forma cocriativa. Pesquisas, leituras, reflexões, exercícios, filmes, TED, estudos de caso, etc  farão parte do escopo metodológico. Princípios de respeito ao outro, não julgamento e a abertura para o novo (criatividade) nortearão os trabalhos. 

Grupo de liderança 

 

Monaliza Matanzas

Coordenadora do Grupo

Administradora, com Especialização em Recursos Humanos pela  FGV, MBA em Gestão da Qualidade, Saúde e Meio Ambiente pela  UNIFACS e Pós – Graduada em Sustentabilidade pela Universidade La Sapienza em Roma – Itália.

Gerenciamento de processos de recrutamento e seleção, programas de capacitação técnica para área operacional e de vendas (equipe interna e externa). Administração de cargos e salários, políticas de premiação, benefícios, pessoal, folha de pagamentos, ponto eletrônico. Elaboração e gestão de orçamento de mão-de-obra. Gestão das Políticas e Procedimentos de RH e no âmbito das áreas administrativas. Gestão em processo de reestruturação e rightsizing. Gestão de indicadores de turnover, absenteísmo, headcount direto e indireto e índice de frequência de acidente de trabalho, atividades muito importantes em unidade de mão-de-obra intensiva. Assessoria à Diretoria na definição de planos estratégicos e ações voltadas à gestão de pessoas Gestão do programa de estágio, jovem aprendiz e PCD. Controle e gestão de custos de pessoal. Condução dos processos de negociação junto a consultorias e empresas parceiras prestadoras de serviço relacionadas à gestão de pessoas. Gerenciamento de contratos e serviços administrativos, tais como transporte de pessoal, refeitório, limpeza e conservação e segurança patrimonial.

Atua como representante da empresa na condução das relações trabalhistas junto aos órgãos como Superintendência do Trabalho e Emprego, e Ministério Público do Trabalho. Representa a empresa nas relações institucionais junto a Embaixadas, Consulados e Entidades Políticas. Gestão da comunicação interna corporativa. Gestão de Expatriados.

Please reload

APRESENTAÇÃO:

Discutir a amplitude do papel da liderança como um dos fatores fundamentais para o sucesso das organizações, destacando especialmente o relevante papel que esta exerce sobre a motivação das pessoas para o trabalho. Debater a visão da liderança como ações e características do líder até a visão atual da liderança transformacional, apresentando as competências requeridas pelo líder contemporâneo e sua influência no desenvolvimento humano e profissional das equipes.

 

OBJETIVOS:

  • Conceituar Liderança e seus Tipos;

  • Atualizar e difundir o conhecimento acerca da liderança e a sua influencia na motivação dos liderados;

  • Apresentar cases de liderança bem e mal – sucedidas;

  • Discutir o papel e a missão da liderança;

 

METODOLOGIA:

Dinâmica participativa, com ações práticas, baseada no processo de aprendizagem vivencial, utilizando apresentações com recursos multimídia, exercícios, estudos, entrevistas e apresentação de casos. Pré-requisitos: Ser acadêmico, ou profissional que ocupe ou tenha ocupado posição de Liderança em Organizações.

SUPERVISÃO: Rita Andrade

Grupo de produtividade

 

Genia Porto

Coordenadora de Grupo

Mestre em Administração de Empresas, Pós Graduada em Qualidade Industrial e Serviços  e em Administração de Recursos Humanos pela UFBA. Sócia da Dinâmica Apoio Empresarial com atuação na área de consultoria e treinamento em gestão desde 1999, com destaque para Diagnósticos da gestão, Planejamento estratégico e Mapeamento e análise de processos;

Mais de 15 anos na coordenação dos processos de premiações na ABGC – Associação Baiana para Gestão Competitiva que utiliza os instrumentos de avaliação do MEG – Modelo de Excelência da Gestão;

Membro do Núcleo Técnico da Rede QPC (Qualidade, Produtividade e Competitividade), gerenciado pela Fundação Nacional da Qualidade – FNQ, responsável inclusive pela revisão técnica dos Critérios Rumo á Excelência.

Juíza do Prêmio SerHumano da ABRH nos anos de 2014 e 2015.

Please reload

APRESENTAÇÃO:

A produtividade cresceu bem menos no Brasil do que em outros 11 países concorrentes entre 2002 e 2012. No período, a taxa média de crescimento do índice que mede quanto se produz por hora trabalhada por ano foi de 0,6%, o menor da comparação inédita feita pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) e divulgada pela Agencia CNI de Notícias (fev/15).

As causas do baixo crescimento da produtividade no Brasil ainda são tema de um amplo debate e o fato de que vários fatores podem afetar a produtividade faz com que também sejam muitas as teses sobre como melhorar esse indicador.

Esse grupo de estudo busca trazer á tona a gestão de pessoas como um mecanismo de conquista da produtividade e não como uma área geradora de custos e despesas. Assim como introduzir uma visão estratégica para as áreas de recursos humanos, como parte do core business.

 

OBJETIVOS:

  • Estudar os conceitos de produtividade e sua relação com gestão de pessoas;

  • Consolidar pensamentos de especialistas sobre possíveis causas da baixa produtividade no Brasil;

  • Identificar práticas de gestão de pessoas como ferramentas de melhoria da produtividade;

  • Reforçar o papel da gestão de pessoas na demonstração de resultados das Organizações;

  • Traçar estratégias para os profissionais de gestão de pessoas demonstrarem resultados das práticas implementadas;

 

METODOLOGIA:

  • Discussões em grupo cada tema desdobrado do foco geral;

  • Levantamento de dados de fontes diretas ou indiretas;

  • Apresentação de casos e experiências dos participantes e/ou convidados. 

Grupo de carreira e remuneração

 

Miguel Argôlo

Coordenador de Curso

Mestre em Administração Estratégica pela UNIFACS e MBA em Gestão de RH pela UFBA, professor em cursos de graduação e pós graduação, atua como especialista em orientação de carreira e coach, desenvolvimento gerencial, remuneração e sistemas de avaliação de desempenho. Certificado em Coaching integrado pelo ICI (Integrated Coaching Institute) e em Orientação Profissional e de Carreira pelo Instituto do Ser (em andamento). Mais de 30 anos de experiência em recursos humanos em empresas de grande porte de diversos segmentos.

Please reload

APRESENTAÇÃO:

Discutir conceitos de carreira e remuneração e analisar as práticas nas empresas que atuam na Bahia, considerando desde as técnicas mais tradicionais até as mais modernas. O Grupo conduzirá uma pesquisa de Práticas de Remuneração nas Empresas da Bahia, visando levantar dados para análise e estudo baseado em fatos reais.

 

OBJETIVO:

  • Atualizar o conhecimento sobre técnicas e práticas de carreira e remuneração.

  • Levantar dados sobre as melhores práticas de gestão de carreira e de remuneração nas empresas baianas.

  • Analisar as práticas do nosso mercado e produzir relatório de pesquisa para contribuir com a gestão do tema.

 

METODOLOGIA:

  • Dinâmica participativa, com ações práticas, baseada no processo de aprendizagem vivencial, utilizando apresentações com recursos multimídia, visando à produção da pesquisa de mercado, envolvendo:

  • Elaboração do questionário de coleta de dados

  • Atração e envolvimento de empresas para participarem da pesquisa.

  • Tratamento e análise dos dados

  • Comparação dos dados primários com os conceitos teóricos

  • Relatório crítico sobre os achados da pesquisa

TEMAS QUE SERÃO ABORDADOS NOS ENCONTROS:

1. Os modelos tradicionais de remuneração e suas contribuições para as atuais práticas de gestão. Discussão e validação da pesquisa Práticas de Remuneração nas Empresas da Bahia.

2. Alternativas de remuneração variável e seu papel de recompensar e reconhecer.

3. Políticas de benefícios como estratégia de remuneração, atração e retenção de profissionais.

4. O que tem de novo nos modelos de remuneração por competências? Comparação com os modelos de remuneração fixa e variável.

5. Práticas e diferenças da remuneração variável em indústria, comércio e serviço.

6. Requisitos para construção de estratégias de remuneração.

7. Novas práticas de remuneração. Alternativas para melhorar o comprometimento e lidar com as expectativas dos mais jovens.

8. Análise dos dados e elaboração de relatório da Pesquisa de Práticas de Remuneração nas Empresas da Bahia.

9. Apresentação de relatório da Pesquisa Práticas de Remuneração nas Empresas da Bahia.

Grupo de Coaching em Itabuna