Sem excessos, aproveite a festa da empresa para interagir


As confraternizações de final de ano são tradições em muitas empresas. Para os funcionários, essa é a oportunidade ideal para se reunir, conversar e fazer novas conexões em um ambiente mais descontraído. Mesmo assim, é importante ficar atento para não cometer gafes que possam prejudicar a imagem profissional. "É um momento em que é necessário saber como se com-portar. O funcionário deve aproveitar com discrição e elegância. Isso porque o ambiente é profissional e todos estão sendo avaliado", disse a professora da Unime Salvador e mestre em administração e recursos humanos Cristina Hireche. Para ela, a ocasião é uma oportunidade de fazer uma rede de contatos profissionais. Consultora em desenvolvimento de pessoas e membro da Associação Brasileira de Recursos Humanos (ABRH), Denide Pereira ressaltou que nesses eventos é malquisto dar apenas uma passadinha e não ficar para celebração. "Fica pa-recendo que você está desvalorizando o evento. Se não pode comparecer, é polido informar aos organizadores". Para ela, é inconveniente tratar de assuntos polêmicos, como aborto, religião e política, neste tipo de evento. "Afinal, ninguém é dono da verdade", disse. Alimentar e espalhar fofocas é inadequado e a atenção com os excessos deve ser redobrada. "Evitar falar demais, bancar o engraçadinho da turma. Beber e comer muito ou forçar outras pessoas a dançar também não é bacana", completou a consultora. Nos mais de 20 anos que trabalhou como executiva de RH, Denide já presenciou diversos casos de excesso de bebida. "Um funcionário bebeu demais e virou o palhaço da festa. Aí, alguém filmou e compartilhou nas redes sociais. No outro dia foi constrangedor", afirmou. Por esse motivo, a consultora considera importante pedir a autorização dos colegas antes de postar foto ou vídeo nas redes sociais. O ambiente da festa também é inadequado para paqueras e romances. Para a psicóloga e coach em gestão de carreiras Cristina Voigt, a sacada é "ir a esses eventos sem se esquecer de que o papel profissional continua". Ela acredita que o momento é para tratar de novos projetos, se comunicar de forma alegre e positiva sem perder a função e o objetivo do momento. "Não cabem piadas pornográficas, queixas sobre a empresa, roupas e atitudes antiprofissionais. Mesmo em outro contexto, o profissional é representante do cargo dele", finalizou a coach.


Veículo: A Tarde


0 visualização

Av. Tancredo Neves, nº 3343. Salvador/Bahia.

Tel. (71) 3341-0877
Whatsapp. (71) 99901-3360
  • Facebook
  • Instagram
  • LinkedIn
  • Twitter
Afiliada à

© 2019, ABRH-BA, Todos os direitos reservados.